top of page

Angiossarcoma

Visão Geral

O angiossarcoma é um tipo raro de câncer que se forma no revestimento dos vasos sanguíneos e linfáticos. Os vasos linfáticos fazem parte do sistema imunológico. Os vasos linfáticos coletam bactérias, vírus e resíduos do corpo e os eliminam.

Este tipo de câncer pode ocorrer em qualquer parte do corpo. Mas ocorre mais frequentemente na pele da cabeça e pescoço.  Também podem surgir na pele de outras partes do corpo, como a mama ou em tecidos mais profundos, como o fígado e o coração. O angiossarcoma pode ocorrer em áreas que no passado foram tratadas com radioterapia.

O tratamento depende de onde o câncer está localizado. Os tratamentos podem incluir cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

Sintomas

Os sinais e sintomas do angiossarcoma podem variar de acordo com o local onde o câncer ocorre.

 

Angiossarcoma que afeta a pele
 

Na maioria das vezes, o angiossarcoma ocorre na pele da cabeça e pescoço. Muitas vezes acontece no couro cabeludo. Os sintomas desta forma de angiossarcoma incluem:

  • Uma área elevada da pele que se parece com uma contusão

  • Uma lesão semelhante a uma contusão que cresce ao longo do tempo

  • Uma lesão que pode sangrar quando arranhada ou esbarrada

  • Inchaço na pele ao redor da lesão

Angiossarcoma que afeta órgãos

Quando o angiossarcoma afeta órgãos, como o fígado ou o coração, geralmente causa dor. Outros sintomas dependem da localização do angiossarcoma.

Quando consultar um médico


Marque uma consulta quando algum sintoma persistente o preocupar.

Causa

Não está claro o que causa a maioria dos angiossarcomas. Ainda não foi identificado os fatores que podem aumentar o risco da doença.

O angiossarcoma ocorre quando as células do revestimento de um vaso sanguíneo ou linfático desenvolvem alterações em seu DNA. O DNA de uma célula contém as instruções que dizem à célula o que fazer. As mudanças, que os médicos chamam de mutações, dizem às células para se multiplicarem rapidamente e essas mudanças fazem com que as células continuem vivas quando as células saudáveis morreriam.

O resultado é um acúmulo de células cancerosas que podem crescer além do vaso sanguíneo ou do vaso linfático. As células cancerosas podem invadir e destruir o tecido saudável do corpo. Com o tempo, as células cancerosas podem se separar e se espalhar para outras áreas do corpo ( o que chamamos de metástase).

Fator de Risco

Os fatores que podem aumentar o risco de angiossarcoma incluem:

  • Radioterapia. O tratamento com radiação para câncer ou outras condições pode aumentar o risco de angiossarcoma. O angiossarcoma é um efeito colateral raro da radioterapia.

  • Inchaço causado por danos nos vasos linfáticos. O inchaço causado por um backup de fluido linfático é chamado de linfedema. Isso acontece quando o sistema linfático fica bloqueado ou danificado. O linfedema pode acontecer quando os gânglios linfáticos são removidos durante a cirurgia. Isso geralmente é feito durante a cirurgia para tratar o câncer. O linfedema também pode acontecer quando há uma infecção ou outras condições.

  • Produtos químicos. O angiossarcoma hepático está ligado à exposição a vários produtos químicos. Exemplos desses produtos químicos incluem cloreto de vinil e arsênico.

  • Síndromes genéticas. Certas alterações genéticas com as quais as pessoas podem nascer podem aumentar o risco de ter angiossarcoma. Exemplos incluem as alterações genéticas que causam neurofibromatose, síndrome de Maffucci ou síndrome de Klippel-Trenaunay e os genes BRCA1 e BRCA2.

Diagnóstico

Os Testes e procedimentos usados no diagnóstico de angiossarcoma incluem:

  • Exame físico. Seu médico irá examiná-lo minuciosamente para entender sua condição.

  • Remoção de uma amostra de tecido para teste. Seu médico pode remover uma amostra de tecido suspeito para testes laboratoriais. Este procedimento é chamado de biópsia.

  • Exames laboratoriais podem detectar células cancerígenas. Testes especiais podem fornecer ao seu médico mais detalhes sobre as células cancerígenas.

  • Exames de imagem. Os exames de imagem podem dar ao seu médico uma ideia da extensão do câncer. Os exames podem incluir ressonância magnética, tomografia computadorizada e tomografia por emissão de pósitrons (PET). Os exames dependerão de uma avaliação inicial.

Tratamento

O melhor  tratamento do angiossarcoma depende da sua situação clínica. Seu irá considerar a localização do câncer, seu tamanho e se ele se espalhou para outras áreas do corpo.

As opções de tratamento podem incluir:

  • Cirurgia. O objetivo da cirurgia é remover todo o angiossarcoma. O cirurgião removerá o câncer e parte do tecido saudável que o envolve. Às vezes, a cirurgia não é uma opção. Isso pode acontecer se o câncer for muito grande ou se já estiver espalhado para outras áreas do corpo.

  • Radioterapia. A radioterapia usa feixes de alta energia, como raios-X e prótons, para matar as células cancerígenas. A radioterapia às vezes é usada após a cirurgia para matar as células cancerígenas que permanecem. A radioterapia também pode ser uma opção se você não puder fazer a cirurgia.

  • Quimioterapia.  A quimioterapia é um tratamento que usa drogas ou produtos químicos para matar as células cancerosas. A quimioterapia pode ser uma opção se o angiossarcoma se espalhou para outras áreas do corpo. Às vezes, a quimioterapia pode ser combinada com a radioterapia se você não puder se submeter à cirurgia.

  • Terapia alvo.  Os tratamentos com medicamentos direcionados atacam produtos químicos específicos presentes nas células cancerígenas. Ao bloquear esses produtos químicos, os tratamentos com medicamentos direcionados podem causar a morte das células cancerígenas. Para o tratamento do angiossarcoma, medicamentos direcionados podem ser uma opção se o câncer estiver avançado.

  • Imunoterapia.   imunoterapia usa o sistema imunológico para combater o câncer. O sistema imunológico do seu corpo pode não atacar o câncer porque as células cancerosas produzem proteínas que as ajudam a se esconder das células do sistema imunológico. A imunoterapia funciona interferindo nesse processo. Para angiossarcoma, a imunoterapia pode ser uma opção de tratamento para câncer avançado.

Luiz Fernando Nunes

LEBLON | RIO DE JANEIRO

RUA CARLOS GÓIS 375 - SALA 601

(21) 2512-9667 

  • YouTube
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
bottom of page