Melanoma

O que é melanoma cutâneo?

     O melanoma cutâneo é um tipo de câncer de pele.  Ele se origina no melanócito, célula responsável pela produção de melanina.  A melanina é o pigmento responsável pelo tom de cor da nossa pele e tem como principal função proteger as células da pele do dano causado pela radiação ultravioleta, principalmente encontrada na luz solar. 

A pele é o único local onde pode surgir o melanoma?

     Não.  Embora 95% dos melanomas são de origem cutânea, o melanoma pode surgir em qualquer local do organismo onde existe a presença dos melanócitos.  Por isso o melanoma pode se originar no olho, no sistema nervoso (meninges), nas mucosas do sistema digestivo (principalmente esôfago e reto), mucosa oral e dos órgãos sexuais (melanoma de mucosa).  

Como identificar o melanoma?

     O melanoma pode ser suspeitado facilmente por qualquer pessoa. Para isso é preciso conhecer a sua pele ou a pele do(a) companheiro(a). Qualquer pinta que surge ou sinal que mude suas características devem ser consideradas lesões suspeitas e a pessoa deve procurar um médico especialista para se fazer o diagnóstico.  

Quais são os fatores de risco do melanoma?

     Existem dois tipos principais de fatores de risco do melanoma: os fatores da natureza e os fatores da pessoa.  O principal fator de risco da natureza é a radiação ultravioleta da luz solar.  Em relação a pessoa, os principais fatores de risco estão relacionados as características físicas.  As pessoas de pele clara, olhos azuis e cabelos loiros são as pessoas de maior risco, assim como aquelas pessoas que quando ficam expostas ao sol se queimam e não bronzeam.  Menos de 10% dos melanomas são genéticos.  

Como é feito o diagnóstico do melanoma?

     Diante de um sinal suspeito de melanoma, a pessoa deve procurar um médico especialista para a realização de uma biópsia.  A biópsia é um procedimento cirúrgico realizado no próprio consultório, com anestesia local, que consiste na remoção de um fragmento (ou de toda) da lesão.  Esse material é avaliado  por um médico patologista que irá emitir o laudo histopatológico que definirá o diagnóstico.

Como usar o teste ABCDE para detecção do melanoma?

     O método ABCDE é muito simples e útil para se reconhecer a gravidade de uma pinta.  Ele se baseia nas características da pinta ou mancha; e qualquer pessoa, não precisa ser médico, pode fazer o diagnóstico clínico utilizando o método ABCDE. Quais são estas características?  

Primeiro: Observar os maiores diâmetros da pinta ou mancha.  Elas são simétricas ou Assimétricas?

Segundo: Observar os bordos da pinta ou mancha. Elas apresentam Bordos regulares ou irregulares?

Terceiro: Observar as cores da pinta ou mancha. Existe mais de uma Cor? 

Quarto: Observar o diâmetro da pinta ou mancha.  O Diâmetro é maior que 6mm?

Quinto: Observar a evolução da pinta ou mancha.  A pinta apresentou alguma Evolução, mudança de aspecto ou crescimento?

     Diante de uma pinta ou mancha com algumas dessas características do ABCDE, a pessoa deve ser orientada a procurar um especialista para o correto diagnóstico.

Existem diferentes tipos de melanoma?

     Sim.  O melanoma cutâneo apresenta quatro formas clínicas principais.  O melanoma de disseminação superficial, o melanoma nodular, o lentigo maligno melanoma e o melanoma acrolentiginoso.  Além destes, existe também o melanoma amelanótico, o melanoma desmoplásico e o melanoma de células fusiformes.  Em relação ao local de origem, o melanoma pode surgir nas meninges, no olho e nas mucosas de órgãos interno e são chamados respectivamente de melanoma de meninge, ocular e de mucosa.

Qualquer tipo de mancha ou pinta pode evoluir para um melanoma?

     Sim.  A maioria das manchas ou pintas são lesões benignas conhecidas como NEVOS.  No entanto, algumas dessas pintas quando expostas à radiação ultravioleta de forma constante e intermitente podem se transformar em melanoma.

Quem está mais propenso a desenvolver o melanoma?

     As pessoas de pele clara que no passado foram expostas ao sol de forma constante e intermitente.

 

Por que o melanoma é considerado o mais perigoso entre os cânceres de pele?

     Porque ele pode dar metástase para outros órgãos.  As metástases ocorrem quando as células do tumor de origem migram e se implantam em outros órgãos.  Exemplo: um melanoma que surge no braço e posteriormente libera uma célula para o pulmão e o tumor passa a crescer lá.  Essa lesão do pulmão é o que nós médicos chamamos de metástase.

Quem já fez o tratamento tem possibilidade de desenvolver novamente o melanoma?

     Sim.  Existem duas formas básicas de uma pessoa tratada desenvolver novamente o melanoma.  Ela pode desenvolver uma nova  lesão primária, em outro local da pele, porque ela já possui esse risco aumentado; e também, o tumor tratado pode voltar no local onde foi feito a cirurgia, ou ele pode voltar nos linfonodos regionais (popularmente conhecida como íngua) ou em órgãos distantes (metástases).

Como deve ser feito o auto-exame da pele?

     O auto-exame da pele deve ser feito em frente a um espelho, com os braços levantados.  A pessoa deve examinar o corpo inteiro,  de frente, de costas e os lados em busca de sinais ou manchas suspeitas.  Deve-se examinar as unhas, planta dos pés e palma das mãos.  Atenção entre os dedos. Utilizar um espelho de mão para avaliação do dorso, nádegas, couro cabeludo.  Atenção com as manchas na face.

Após passar protetor solar em todo o corpo, posso ficar exposto ao sol sem perigo?

     Não.  Esse é um pensamento muito comum e perigoso.  O principal método de prevenção do melanoma  é evitar a exposição  solar, principalmente no período compreendido entre 10h e 16h.

Qual a diferença entre câncer de pele não melanoma e melanoma?

     O câncer de pele não melanoma surge nas células epiteliais das camadas da pele, já o melanoma se origina nos melanócitos que são as células responsáveis pela produção de melanina.  Os dois principais tipos de câncer de pele não-melanoma são o carcinoma basocelular (CBC) e o carcinoma espinocelular (CEC).  O CBC é o câncer de pele mais comum em todo o mundo.  Aproximadamente 75% dos tumores malignos da pele são desse tipo.  Os CEC correspondem a 25%, o melanoma 4% e outros tipos mais raros 1%.  O CBC é o mais frequente; e felizmente, são tumores com excelente prognóstico, que são curados na imensa maioria dos casos com um procedimento cirúrgico simples.  Os CECs são tumores com bom prognóstico quando diagnosticados em fases iniciais, em algumas situações podem evoluir com doença avançada.

Por que a exposição solar em excesso pode aumentar o risco de câncer de pele?

     A radiação ultravioleta penetra a pele e pode levar a alterações e danos no DNA, tornando aquelas células cancerígenas. Essa exposição solar provoca o dano tanto por efeito cumulativo (exposição crônica ao sol) como intermitente, em intervalos (queimaduras agudas, principalmente na infância).

Quando uma pinta pode significar câncer?

     Uma pinta ou mancha se torna suspeita de câncer  do tipo melanoma quando ela apresentar sinais característicos como: Assimetria (um lado é diferente do outro); Bordas irregulares; mais de uma cor, Multicor;  tamanho maior que 6 mm ou apresentar modificação de suas características originais.

Como escolher um protetor solar?

      O protetor ideal deve ter amplo espectro, ou seja, que proteja tanto contra os raios UVA (presentes durante todo o dia), quanto os raios UVB (que têm pico de incidência entre 10h e 16h), e com fator de proteção de no mínimo 30. Vale ressaltar a importância de ser aplicado diariamente, mesmo em dias nublados, e reaplicar a cada 2 horas.  

Quais os hábitos que devemos adotar para se prevenir desse tipo de câncer?

     Além do protetor, medidas como exposição adequada ao sol podem ser adotadas. Evitar a exposição no horário mais intenso da radiação ou procurar sombras (não ficar exposto diretamente), usar chapéus  com abas largas, óculos com filtro UV e roupas com tecido que também apresentem esse filtro.

As pessoas de pele negra podem desenvolver câncer de pele?

Sim.  O risco é menor porque pessoas com pele negra possuem mais melanina que proteje as células da pele do dano causado pelo sol.  No entanto, essas pessoas podem desenvolver o câncer de pele em regiões como a planta dos pés, palma das mãos e embaixo da unha.isso já é considerado um protetor natural, mas também correm risco de ter câncer de pele. É menos frequente, mas ocorre, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés.

 

O que significa Nevo Melanocítico Composto Displásico? 

O Nevo Melanocítico é um tumor benigno composto por células responsáveis pela produção do pigmento da pele conhecido como melanina (melanócitos). Os Nevos são conhecidos popularmente como sinais, pintas ou verrugas.   A displasia significa alteração do crescimento.  Na prática essas lesões estão em atividade e apresentam um risco maior de evoluir para o câncer de pele conhecido como melanoma.  

E a sua pergunta?

 

Envie sua pergunta

Luiz Fernando Nunes

LEBLON | RIO DE JANEIRO

RUA CARLOS GÓIS 375 - SALA 601

(21) 2512-9667  (21) 98845-6762

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram