top of page

Evolução nas estratégias cirúrgicas do melanoma cutâneo: uma reflexão histórica

A história da cirurgia oncológica é uma jornada de descobertas e avanços que moldaram a maneira como tratamos o câncer ao longo do tempo. No contexto do melanoma cutâneo de extremidades, as estratégias cirúrgicas passaram por uma notável evolução. No passado, os pacientes eram submetidos a ampliação das margens de segurança e linfadenectomia, refletindo a abordagem vigente da época. Neste post, mergulharemos no cenário histórico dessas práticas e nas mudanças que pavimentaram o caminho para abordagens mais refinadas e personalizadas.


Em um passado não tão distante, pacientes diagnosticados com melanoma cutâneo de extremidades enfrentavam desafios singulares. As estratégias cirúrgicas eram dominadas por ampliações das margens de segurança e linfadenectomia, muitas vezes realizadas simultaneamente com a abordagem da lesão primária. Essa abordagem, conhecida como linfadenectomia eletiva ou profilática, visava erradicar quaisquer potenciais focos de metástases linfonodais, mas frequentemente resultava em morbidade significativa para os pacientes.


A evolução das práticas cirúrgicas ganhou ímpeto com o trabalho pioneiro de visionários como Donald Morton. A introdução da biópsia do linfonodo sentinela (BLS) marcou uma revolução no manejo do melanoma cutâneo. Ao invés de procedimentos agressivos generalizados, a BLS permitiu uma análise precisa do linfonodo mais provável de abrigar metástases, oferecendo informações valiosas para orientar as decisões cirúrgicas e terapêuticas. Essa transformação na abordagem cirúrgica permitiu a individualização do tratamento, minimizando a morbidade e maximizando a eficácia.


O passado da cirurgia do melanoma cutâneo de extremidades é uma narrativa que reflete as diferentes eras da medicina e as abordagens cirúrgicas predominantes. A transição das ampliações das margens de segurança e linfadenectomias para a técnica mais refinada da biópsia do linfonodo sentinela representa um marco na história da cirurgia oncológica. Como cirurgiões oncológicos, honramos esse legado, continuando a avançar nas estratégias cirúrgicas para oferecer aos pacientes o melhor tratamento possível. A história nos lembra que o compromisso com a evolução e a melhoria contínua é o que nos guia em direção a um futuro mais esperançoso e eficaz no combate ao melanoma cutâneo.



14 visualizações0 comentário

Luiz Fernando Nunes

LEBLON | RIO DE JANEIRO

RUA CARLOS GÓIS 375 - SALA 601

(21) 2512-9667 

  • YouTube
  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
bottom of page